Conselhos a um amigo escritor.

junho 10, 2014 § Deixe um comentário

Fala amigo!

Puxa, queria muito poder sentar com você para discutir melhor o livro.
eu já havia lido um trecho um tempo atrás, então sei que é algo que está na sua cabeça a bastante tempo.

Em relação ao texto, eu não considero ele ainda “pronto”, acho que você precisa entrar mais na personagem, fazer uma oficina para conhecer esta mulher melhor.

Problema estrutural só encontrei um ; No terceiro parágrafo você muda para a primeira voz em discurso direto. Mas há um problema grave, o leitor não foi inserido na cena. Nós não sabemos com quem a mulher está falando ou em que local ela está. Isto é um problema pois o texto inicia na terceira pessoa. constroi uma cena, mas que fica incompleta pois não coloca o leitor no local do monólogo.

Sugiro você escrever um paragrafo entre o segundo e o terceiro para situar melhor a cena. imagine um cenário de teatro e mostre para o leitor.
Importante!
Com quem ela esta falando? uma colega de ponto? um cliente antes do programa? depois do programa? apenas um amigo em um bar?

Feito isso, eu sugiro que você programe uma manhã livre, reflita durante meia hora, se conseguir – mais, em quem é esta mulher e o que ela tem pra dizer. Não escreva nada, apenas pense nela. Em seguida leia o monólogo em voz alta sem interrupções. Após a leitura, ajuste o que você identificou como desvio na voz da personagem. O que faz sentido para ela, o que tem de interferencia do autor nela.

EU achei a voz dela muito ocilante. acho que isso tem que ser melhorado. Acima de tudo, EVITE o tom “didático” que surge muitas vezes. Evite frases afirmativas absolutas, verdades prontas. Elimine completamente as notas de rodapé. Isso não é trabalho para o autor. deixe para a edição comentada, que o editor coloque notas se julgar necessário. Eu não acho que são.

exemplo do tipo de frases super-afirmativas que estão fora de lugar ; “**********************************8”
“**************************************************”
“*******************************” contradita logo em seguida por “**************************************”

é importante não ser didático

A personagem precisa falar, faça um desenho dela e cole em sua frente na mesa de trabalho, olhe para ela sempre, a voz é dela.

Faça um resumo da personalidade dela e cole ao lado do desenho.

Desenhe uma linha, ponto A é o momento onde o livro começa, ponto B é o momento que o livro termina. Reflita por que você decidiu mostrar este momento na vida daquela mulher.

Alguma coisa precisa acontecer entre o ponto A e o ponto B, isto é muito importante. Isso responde o que acontece nesse livro e por que eu deveria lê-lo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Conselhos a um amigo escritor. no Leonardo Bandeira.

Meta

%d blogueiros gostam disto: