“Documentos em ordem, pode ir”, disse o soldado. (p.48)

dezembro 17, 2013 § Deixe um comentário

Interrompo a leitura do livro Vida e Época de Michael K para registrar alguns pensamentos sobre o livro. Pesquisei e vi que o mesmo está esgotado, apesar de vários outros livros do autor permanecerem disponíveis pela Cia. Das Letras. Com 50 páginas de história, é possível ver que J. M. Coetzee é um escritor acima da média (na verdade, com 15 páginas eu já estava fisgado). A forma que escreve é universal, fala-se da África do Sul, mas é possível sentir os ecos da falta de liberdade no dia-a-dia de minha própria vida. É sobre liberdade que o texto tem me feito pensar, e é terrível imaginar a situação social narrada no livro como algo real e tão próximo. Pra quem quiser ter uma ideia de como se respirava o ar na África do Sul de algumas décadas atrás, Coetzee nos transporta em um discurso sem demagogia, propaganda, ideologia. Chega a ser estranho um relato sobre este país sem as palavras Apartheid, Negro, Branco, Opressão…. elas não aparecem no discurso. Não há esta rotulação maniqueísta, simplista. É uma escrita que devemos ser gratos por existir, gratos por haver um registro tão humano.Image

Anúncios

Marcado:, , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento “Documentos em ordem, pode ir”, disse o soldado. (p.48) no Leonardo Bandeira.

Meta

%d blogueiros gostam disto: