Ce livre est dédié à l’homme

dezembro 25, 2012 § Deixe um comentário

MH1

Michel Houellebecq é um escritor francês bastante popular em seu país, é um destes autores contemporâneos que fazem a diferença. Mas eu nunca havia lido Michel Houellebecq, autor que eu ouvi falar mas que não chamara muito meu interesse, um desses escritores de títulos estranhos que eu bem poderia ficar sem ler. Daí que por acaso me recomendaram O Mapa e o Território; o último romance de Houellebecq coroado com o célebre Prix Goncourt. Li algumas críticas exaltadas na internet e devo dizer que não fui iludido em minha leitura. O Mapa e o Território é um romance que prende a leitura, intrigante… em uma palavra; um sucesso!

O Mapa e o Território narra a vida e a obra de Jed Martin, artista francês que vive em um futuro próximo. Um artista incapaz de manter uma vida social digna de seu nome, mas que se revela ser um grande talento. Ele começa fotografando objetos do cotidiano, objetos aparentemente insignificantes, mas aos quais se somam o olhar do artista. Após esta fase e sua saída da escola de belas-artes, Jed muda de objeto e começa a fotografar mapas da Michelin escolhendo os lugares que julga mais interessantes ou belos. Esta fase de mapas lhe garante reconhecimento no meio artístico e o começo de sua fortuna seguida de uma parceria com a empresa europeia. O nome da exposição que exibe seu trabalho é quem dá o nome ao romance “O mapa é mais interessante que o território”. O sucesso é enorme, mas o artista de humor volúvel abandona a fotografia para se dedicar à outro tipo de arte, a pintura. Ele inicia uma nova fase de 65 telas que lhe rendem uma fortuna enorme. Esta “coleção dos trabalhos” representa homens e mulheres em seu ambiente de trabalho em pinturas bastante detalhistas e realistas, bastante próximas a fotografias afinal. Estes quadros são vendidos após a primeira exposição organizada por Jed Martin : ele teve a boa ideia de representar pessoas conhecidas, homens de negócios que comprariam estes quadros negociados rapidamente à milhões de Euros.

O romance de Michel Houellebecq é um profundo testemunho do nosso tempo, um livro provocador, fruto de uma mente afiada que destila a cada página nossas contradições e preconceitos rindo das expectativas do leitor. A história de Jed é um subterfúgio para analisar o que é ser artista nos anos 2010. É um livro que não poderia ter sido escrito em outra década, o livro mais moderno que já li.

Uma outra intriga, às vezes mais forte e mais humana que a precedente, percorre o romance; é a história das trocas, sempre difíceis e esporádicas, entre Jed Martin e seu pai, que se aproxima da morte – uma morte que ele vai buscar em uma instituição suissa especializada em suicídios assistidos. Da mesma maneira que o escritor inseriu em seu relato personagens reais, esta instituição existe de verdade, e nesta incarnação, a eutanásia é aparentemente uma profissão como qualquer outra no país. Esta ironia, presente também em seus outros livros, se firma com uma marca de fábrica do autor.

Outra forma de ironia, com a qual Houellebecq se mostra muito familiarizado, é esta maneira de ridicularizar um personagem real através de um elogio disfarçado. Desta forma entram em seu romance fantoches da televisão, críticos literários e até outros escritores. Tornando-se impossível a Monsieur Houellebecq publicar um trabalho sem suscitar novas polêmicas. No Mapa, a maior polêmica acabou sendo a acusação de plágio. Desafiando as fronteiras da apropriação de conteúdo intelectual, o livro, como este post, copiou da internet (Wikipédia) diversos textos descritivos sem citar sua fonte. Este caso pode ser pesquisado em vários artigos e levantar boas reflexões sobre os limites das trocas que a internet pode proporcionar.

O Mapa E O Território foi publicado no brasil pela editora Record sem muito alarde, com uma capa escura que chama pouca atenção, mas com uma tradução competente. Outros livros como Partículas Elementares foram publicados pela editora Sulina, este, em sua edição francesa J’Ai Lu traz uma cinta com a foto do autor nos encarando com sua feição bizarra e dizendo “este livro é dedicado ao Homem”.

capa mapa territorio brasil

Anúncios

Marcado:, , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Ce livre est dédié à l’homme no Leonardo Bandeira.

Meta

%d blogueiros gostam disto: