Musica – os discos que mais curti em 2011

dezembro 31, 2011 § Deixe um comentário

1- Forevermore – WHITESNAKE

Lançado no começo do ano, ouvi sem parar o novo disco de David Coverdale que mistura rock pesado com blues desde a primeira faixaSteal your Heart Away; uma gaita dobrando o riff de guitarra com vocais roucos e agudos. Love Will Set You Free foi lançada como single no youtube com um clipe bem legal e riffs de guitarra viciantes. A baladas Easier Said Than Done e Fare Thee Well são irresistiveis e contrastam com as porradas de Dogs In The Street e My Evil Ways. No meio termo estão One Of Theese Days, Love and Treat Me Right com refrões melódicos e pegajosos. Enfim, um disco onde não faltam boas músicas e vitalidade.

2- Last Look at Eden – EUROPE

Esse disco chegou com atraso no brasil pela Hellion e eu não tinha conhecimento dele até que vi nas prateleiras. O Europe, apesar da farofada de The Final Countdown (1986), sempre mostrou que é uma boa banda com os discos Out of this World (1988) e Start from the Dark (2004). John Norum é um grande guitarrista e a voz de Joey Tempest é de causar inveja a muita gente. O tempo não enferrujou estes caras e são hoje uma banda melhor do que nos anos 80. A épica faixa título, com teclados sinfônicos estilo Cashmir, é seguida pela roqueira Gonna Get Ready dona de um poderoso riff de guitarra.  Mais pra frente Catch That Plane e U Devil U são sensuais e empolgantes.

3- What If… – MR. BIG

Nunca fui fã do Mr. Big mas já conhecia Billy Sheenan como um dos grandes virtuosos no contrabaixo. Acompanhado de Paul Gilbert na guitarra eles fazem cérebros derreter. No entanto, os discos da banda passam longe do estilo progressivo ou fusion. Mr. Big é bom mesmo em fazer baladinhas e música para tocar no rádio. E foi mais ou menos assim; assisti ao clipe de Undertown no youtube e a musica não saiu da cabeça; um riff de baixo cavalar, refrão marcante, um grande solo de guitarra. Assisti varias vezes até decidir pegar o álbum completo e viciar na veloz American Beauty, Arround the World, I Get The Feeling… as baladas Stranger In My Life e All The Way Up. Eric Martin consegue cantar nas notas mais altas sem esforço e é outro destaque do disco.

4- Gimme Some – PETER BJORN AND JOHN

Ouçam os primeiros 30 segundos de Dig A Little Deeper e se isso não servir para convencer que este é um dos discos mais legais do ano… ouça o resto da musica! São três caras tocando música num quarto apertado, com levadas divertidas, coro vocal afinadíssimo, contrabaixo e guitarra trabalhando juntos em linhas diferentes e criativas, timbres exelentes. É exatamente como a foto no encarte mostra. Destaque também para Second Change, Eyes, Breaker Breaker, May Seem Macabre, Cool Off… oops, estou escrevendo todas as musicas do disco.

5- Tribute 4 Stu – BEN WATERS

O som do piano nesse disco é hipnotizante. Maravilhosamente gravado, nos leva para o tempo do boogiewoogie com uma fidelidade que os rolos da época de jerryleelewis não eram capazes de registrar. O disco possui tanto faixas instrumentais quanto cantadas, incluindo participação dos Rolling Stones, banda pela qual ‘Stu’ mais contribuiu. Um disco perfeito para criar um clima e apreciar a beleza do instrumento.

6- Scheepers – RALF SCHEEPERS excelentes musicas e músicos num disco que passou apagado e sequer foi lançado no brasil já que não carrega o nome do Primal Fear.

7- Stormwarning – TEN retorno competente de uma de minhas bandas obscuras favoritas, belos vocais e refrões melódicos como sempre.

8- Murder the Moutains – RED FANG a estrutura lírica e liberdade das guitarras, som do baixo, o espaço dado as seções instrumentais…  desta lista a única banda da qual eu não sabia da existência até esse ano

9- Boa Parte de Mim Vai Embora – VANGUART ótima decisão de deixar as musicas em inglês pra trás, o vocal bêbado de Hélio Flanders diverte mas Reginaldo Lincoln não deixa isso ficar chato cantando algumas das melhores do disco.

10- Nature – ROAD TO JOY mesmo que ninguém tenha ouvido, finalmente saiu pelo independente PopFuzz algum material da finada banda onde gravei o baixo e que contou com participação de Rafael da SNOOZE na bateria.

e as decepções….

th1rt3een – MEGADETH os dois últimos discos da banda são meus favoritos, mas neste optaram por utilizar material descartado da fase Youthanasia em metade do disco, e você entende porque essas musicas tinham sido arquivadas…

stage whisper – CHARLOTTE GAINSBOURG musicas novas que não cheiram e algumas que fedem + versões ao vivo horríveis das ótimas canções dos discos 5:55 e IRM

comeblack – SCORPIONS Stin in the Tail foi meu disco favorito de 2010; já este é um bom disco, os covers são bem escolhidos, mas quando prometeram um disco de regravações eu esperava mais do que 7 músicas e no mínimo Big City Nights. Não ter nenhuma dos anos 70 também não ajuda.

Anúncios

Marcado:, , , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Musica – os discos que mais curti em 2011 no Leonardo Bandeira.

Meta

%d blogueiros gostam disto: